O Autor

Os livros psicografados por Hendrik Wernick (Buenos Aires, 1972) nasceram como consequência natural dos trabalhos mediúnicos com os quais o autor está vinculado desde 2002, quando começou a estudar e a trabalhar com o Espiritismo.

Ao longo dos seguintes anos, trabalhou em Centros Espíritas e de Umbanda, até fundar, junto com sua esposa, o Centro Espírita Apométrico Fraternidade da Luz, localizado em São Paulo, onde executam gratuitamente os trabalhos espirituais.

Segundo o Espiritismo, todos temos mediunidade latente, sendo em forma de intuições, de visões, de sonhos, de déjà vu, de sensações ou de experiências espirituais. Uma vez estudada, educada e desenvolvida, se manifesta de maneira mais concreta : vidência, psicofonia, psicografia, mediunidade de cura, entre outras. Em nenhum momento mediunidade é sinônimo de evolução moral, já que é uma característica presente em "bons e maus", honestos e corruptos, crentes e materialistas.

​Essas características são exploradas nos contos inspirados pelo espírito Pablo (mentor intelectual e verdadeiro dono da obra), que costumam nascer de situações cotidianas para logo entrarem em labirintos e mistérios da alma imortal ao evidenciarem conflitos, contradições, preconceitos, revelações e desejos que muitas vezes fazem parte de nossas vidas. O mundo espiritual está mais presente em nosso cotidiano do que podemos imaginar e os contos buscam estabelecer essas pontes, através das emoções e da fé raciocinada, do conhece-te a ti mesmo.

Os contos de Pablo e Hendrik Wernick, escritos em espanhol e traduzidos ao português, buscam despertar a inquietação dos leitores, fazer soar a campainha interior que adverte que, para a alma imortal, sempre seremos herança de nós mesmos, de nossas ações na roda de reencarnação. Muitas vezes nossa consciência nos emite sinais que tratamos de ignorar e nos deparamos com verdades que exigirão mudanças fundamentais que tememos ou postergamos, apesar da evolução espiritual ser sempre individual e intransferível.

"A semeadura é livre, mas a colheita, obrigatória..."

Hendrik Wernick | Contos contemporâneos | Escritor argentino
Hendrik Wernick
3 Livros.png